Carregando, aguarde...

Central de atendimento: 11 3056-9955 / Endereço: R. Bento de Andrade, 379 - Jardim Paulista - São Paulo - SP - 04503-011
Notícias

Dia nacional da doação de órgãos: transplante de córnea

25 de setembro de 2020

Dia nacional da doação de órgãos: transplante de córnea
Dia 27 de setembro é comemorado o Dia Nacional da Doação de Órgãos. O dia tem como objetivo conscientizar a população de que todos podem ser potenciais doadores. Apesar do tema ter tido mais visibilidade nos últimos anos, na prática ainda causa um pouco de dúvida, mas é mais fácil do que parece, e um simples ato pode ajudar a salvar milhares de vidas.

Transplante de córnea

Você sabia que a córnea não precisa de compatibilidade para ser transplantada? Por isso, qualquer pessoa pode ser doadora, mesmo aquelas que possuem miopia, hipermetropia, presbiopia, astigmatismo ou outras doenças oculares. O único requisito é ser declarado como doador de órgãos e querer ajudar o próximo.

Hoje, com a evolução tecnológica, raramente se faz o transplante da córnea toda, e os transplantes mais modernos estão disponíveis no Brasil, tanto na rede pública como em hospitais especializados, como o H.Olhos.

Tipos de transplante de córnea

Existem dois tipos de transplante de córnea: o transplante de córnea lamelar e o penetrante. Entenda como funcionada cada um:

Transplante de córnea lamelar

No transplante de córnea lamelar, o cirurgião substitui apenas algumas das camadas da córnea.

Nesse transplante, as camadas são selecionadas e transplantadas, o que pode incluir a camada mais profunda (posterior), o chamado endotélio. Se o transplante incluir as camadas mais próximas da superfície (anterior), então o transplante de córnea escolhido é o lamelar anterior.

O transplante lamelar é mais adequado do que o transplante penetrante completo quando o processo de doença se limita apenas a uma porção da córnea.

Transplante de córnea penetrante

O transplante de córnea penetrante envolve o transplante de todas as camadas da córnea do doador. Neste transplante, a rejeição do enxerto é mais elevada do que nos enxertos lamelares e o tempo de recuperação e os erros refrativos são consideravelmente superiores.

Normalmente, este tipo de transplante é utilizado apenas nos casos em que o transplante lamelar não é possível.